Chocolate e seus benefícios

Chocolate não é só um delícia. O seu consumo moderado traz vários benefícios à saúde, e quanto mais cacau na fórmula, melhor. Porém, tenha atenção. A quantidade não deve ultrapassar 30 gramas por dia, equivalente a dois bombons ou um tablete pequeno. Confira as diferenças entre os tipos de chocolates e alguns bons motivos para manter essa delícia no cardápio.

Chocolate Branco: esse tipo de chocolate não leva massa de cacau. É feito, basicamente, de manteiga de cacau, leite e açúcar. Ele é mais doce, gorduroso e tem uma textura mais cremosa que os demais.

Chocolate ao Leite: produzido a partir de pasta de cacau, o teor de cacau nesse chocolate é entre 30% e 40%. Contém açúcar, leite ou leite em pó. O resultado é um chocolate mais adocicado. 

Chocolate Meio Amargo: por não ser muito doce, o chocolate meio amargo não costuma fazer muito sucesso, principalmente entre as crianças. Por outro lado, é um dos mais saudáveis por apresentar um índice de 50% de cacau em sua composição. Apresenta maior quantidade de açúcar em relação ao amargo.

Chocolate Amargo: feito com os grãos de cacau torrados com pouca adição de açúcar, sem leite. É também chamado de "chocolate puro" e é o menos doce e menos gorduroso de todos. Oferece mais benefícios à saúde que os demais e tem a concentração de cacau bem alta, podendo ultrapassar os 70%. 

Chocolate Diet: são recomendados apenas para os diabéticos porque apesar de não possuírem açúcar, tem elevados índices de gordura e são altamente calóricos.



Benefícios: 
  • Sensação de saciedade: O chocolate ajuda você a se sentir mais satisfeito e não exagerar na comida. Pesquisas realizadas mostraram que os ácidos fenólicos presentes no cacau podem aumentar a produção do hormônio leptina, que é responsável por aumentar a sensação de saciedade.
  • Proteção contro derrames: O cacau é bastante rico em antioxidantes que são capazes de reduzir a inflamação de trombos na corrente sanguínea e, consequentemente, o acidente vascular cerebral.
  • Na gravidez: Chocolate durante a gravidez pode ajudar a prevenir a pré-eclâmpsia (hipertensão) Uma pesquisa da Universidade Yale, nos Estados Unidos, sugere que mulheres que saboreiam a delicia ao menos cinco vezes por semana estão 40% menos propensas a desenvolver o problema do que aquelas que consomem menos de uma vez. O composto teobromina, encontrado principalmente nas variedades amargas e meio-amargas, pode ser o responsável pelo benefício. 
  • Ajuda no processo de emagrecimento:  O chocolate pode ajudar você a emagrecer a partir do momento em que é inserido dentro de uma alimentação balanceada. Esta iguaria é rica em cafeína, que acaba por acelerar o metabolismo, ajudando a queimar calorias. 
  • Ajuda no processo de emagrecimento: O chocolate pode ajuda você a emagrecer a partir do momento em que é inserido dentro de uma alimentação balanceada. Esta iguaria é rica em cafeina, que acaba por acelerar o metabolismo, ajudando a queimar calorias. Para isso, é necessário ingerir o chocolate amargo, que contém bastante cacau.
  • Antienvelhecimento: Por apresentar em sua composição antioxidantes, vitaminas A e do complexo B, o chocolate ajuda a neutralizar os radicais livres do organismo que, podem provocar danos celulares relacionados ao processo de envelhecimento. 
  • Melhora o raciocínio: A cafeína presente no chocolate pode estimular a memória, a atenção, a concentração e o desemprenho mental em geral, de acordo com pesquisas com pessoas que consumiram 500 mg de flavonoides, substâncias encontradas no chocolate amargo e meio amargo.
Além disso o chocolate libera endorfinas que melhoram o humor e a ansiedade e ainda combatem a depressão e o desânimo. Ele fornece energia, melhorando a disposição para as atividades diárias, e concentra outras substâncias, como triptofano, teobromina, feniletilamina, fenilalanina e tirosina, que reforçam a sensação de bem estar.
Compartilhar no Google Plus

Sobre Posture Saúde Corporativa

    Comentar no Google Plus
    Comentar no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário